Revolta dos representantes da Renamo na Assembleia Autárquica contra o edil de Quelimane culminou no cancelamento da sessão da quinta-feira (29). Membros da Renamo alegam que Manuel de Araújo não paga os salários.

Um grupo de 20 dos 24 membros da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo) que compõem a maioria na Assembleia Autárquica de Quelimane boicotou uma reunião na manhã de quinta-feira (29) no salão nobre do edifício do Conselho Autárquico, alegando falta de entendimento e mau relacionamento com Manuel Araújo, edil da cidade e pertencente à mesma formação política.

Além de problemas relacionados com o não pagamento de salários, os membros da bancada da Renamo em conflito com Manuel de Araújo disseram, sem gravar entrevistas, que as relações com o edil são más porque não há promoções e nem progressão na carreira profissional e muito menos subsídios de chefia para as pessoas que exerçam essas funções.

A reunião tinha sido marcada para as oito horas da manhã, mas devido à ausência dos representantes da Renamo, o início dos trabalhos foi alargado para as 10 horas locais. Mesmo assim, a maioria dos membros da Renamo não compareceu.

DW