Os pacientes que sofrem de doença renal crónica queixam-se de restrições no acesso ao tratamento na enfermaria de hemodiálise no Hospital Central de Maputo.

A hemodiálise é um tratamento que consiste na eliminação de substâncias indesejáveis no sangue através das máquinas que funcionam como um rim artificial. O tratamento é indispensável para a sobrevivência de pessoas que perderam a função renal.

“O País” conversou com uma jovem que sofre da doença há cinco anos. A jovem diz que não tem tido acesso ao tratamento no Hospital Central de Maputo e queixa-se da falta de informação.

Tânia Antunes, presidente da Associação dos Amigos de Rim, também manifestou a sua preocupação com a situação dos doentes.

O Hospital Central de Maputo e o Ministério da Saúde dizem que estão a resolver a situação.

Os pacientes que precisam da hemodiálise são aqueles que foram diagnosticados uma insuficiência renal. Com a perda da função, que equivale a menos de 10% da actividade dos rins, a pessoa precisa de começar com o tratamento de hemodiálise para manter o equilíbrio das substâncias essenciais para o organismo.

O País