De um total de 250 deputados, estiveram na quarta-feira (31), 206 na Assembleia da República para ouvir o Informe Anual do Presidente da República.

Durante duas horas e trinta minutos, Filipe Nyusi referiu-se aos cinco anos do seu mandato, realçando o que considera conquistas do seu Governo neste quinquénio.

Para o Presidente da República, o cenário em que Moçambique vive é claro: “O Estado da Nação é de esperança e de um horizonte promissor”. Por isso, frisou Filipe Nyusi, “Moçambique tem tudo para dar certo”. Justifica o optimismo presidencial as realizações atinentes, por exemplo, à estabilização económica, ao reatamento da confiança dos parceiros como Fundo Monetário Internacional (FMI), a realização da cimeira EUA-África, o que traduz sinal inequívoco de renovada confiança no país, e a recente decisão final de investimentos da Anadarko. Tudo isto, para Nyusi, constitui um passo importante para o início de uma nova era no desenvolvimento social e económico do país.

A materialização das perspectivas de Filipe Nyusi no futuro promissor que visualiza cria oportunidade para o país alargar emprego. Para o efeito, “temos de acreditar em nós e fazer mais do que os parceiros que acreditam em nós. Temos de apostar na economia e apostar no país”. Assim, a educação deverá receber maior investimento, pois a pretensão de Nyusi é equipar os moçambicanos de conhecimentos que os ajudem a ultrapassar os desafios da nação.

O Presidente da República considera que Moçambique venceu o ciclo atípico que enfrentou, com as adversidades inéditas, superados graças ao trabalho e ao empenho de cada um dos moçambicanos. Mesmo reconhecendo que subsistem desafios, Nyusi congratula-se com as metas.

Segundo entende o Presidente da República, o seu Governo cumpriu a sua missão, logo doravante estão lançadas as sementes para um futuro com esperança nos próximos cinco anos, o que estará associado à paz efectiva e consolidação da democracia. “Sem paz não há desenvolvimento. Prometemos que não descansaremos sem alcançarmos a paz efectiva. Não vamos recuar”, garantiu o Presidente, lembrando que sob sua liderança o Governo manteve diálogos abertos com todos segmentos moçambicanos no processo de tornar a inclusão, a unidade e harmonia social realidades imaculadas.

E esse diálogo, esta é a convicção de Filipe Nyusi, mostrou que o objectivo comum dos moçambicanos está acima de cores partidárias. Assim, foi possível calar as armas, implementar memorando de entendimento sobre assuntos militares entre o Governo e a Renamo. E porque nada dessa busca pela paz efectiva seria possível sem o envolvimento do maior partido da oposição, Nyusi agradeceu a Renamo, anunciando que amanhã vai tornar-se definitiva a assinatura de cessação de hostilidades. “Este momento histórico reafirma a esperança para um futuro risonho”, defendeu.

No seu discurso, o PR disse ainda que o Governo adoptou medidas económicas corajosas que permitirão controlar a inflação, agora em 4%, estabilizar o metical em relação às principais moedas, como o dólar e o rand.

Em relação à dívida pública, Nyusi afirmou que o Governo conversou com os credores, tendo em vista a credibilidade do país. No que à transparência diz respeito, Nyusi anunciou que o país recuperou mais de dois milhões de MT das empresas que não canalizavam descontos ao INSS.

Feito o resumo do último quinquénio, Nyusi considerou que “o Estado da Nação é de esperança e de um horizonte promissor”.

Folha de Maputo