O processo de desarmamento, desmobilização e reintegração dos guerrilheiros da Renamo começou na Serra da Gorongosa na presença do presidente do principal partido da oposição, peritos militares internacionais, jornalistas e membros do Governo.

Prevê-se que mais de 5 mil antigos guerrilheiros sejam integrados nas Forças de Defesa e Segurança e na vida civil.

O presidente da Renamo, Ossufo Momade, classificou o momento de “histórico e de grande simbolismo”, mas pediu o empenho de todas as partes envolvidas no processo.

Momade defendeu uma “reintegração humanizada e dignificante” e, por isso, disse esperar que se concretizem as promessas de apoios feitas pelo Governo e pela comunidade internacional.

As armas estão a ser entregues num centro preparado para o efeito nas encostas da serra da Gorongosa, enquanto os antigos guerrilheiros aguardam a sua integração.

VOA