O presidente do Conselho Autárquico de Nampula, Paulo Vahanle, da Renamo, diz estar a sofrer ameaças de morte há três meses através de chamadas privadas no seu celular.

O autarca acrescenta que é pressionado para abandonar o cargo e regressar à Assembleia da República, onde era deputado, mas ainda não apresentou queixa às autoridades.

“A pessoa liga e diz que tenho de abandonar o município e, a continuar, qualquer dia vou perder a vida por estar a ocupar um lugar que tem dono”, revelou Vahanle acrescentando que a mesma fonte revela haver um plano para lhe retirar a vida.

Apesar da denúncia, Vahanle ainda não levou o caso às autoridades para que o caso seja investigado, mas já partilhou o assunto com os membros da assembleia autárquica.

O porta-voz da polícia, Zacarias Nacute, aconselha o edil a participar o caso junto às autoridades da justiça “para que seja investigado”.

Paulo Vahanle venceu a eleição intercalar em Nampula depois do assassinato do antigo edil, Mahamudo Amurane, em Outubro de 2017, a mãos de desconhecidos.

A denúncia do autarca acontece pouco tempo depois da sua tomada de posse resultado das eleições de Outubro passado e numa altura em que o país se prepara para as eleições gerais, previstas para 15 de Outubro.

VOA