O Centro de Saúde de Quissanga sede esta sem maternidade devido ao mau estado da infra-estrutura que a cada dia que passa, as fundações vão cedendo e a as fissuras nas paredes vão aumentando.

Para evitar colocar em risco a vida de mulheres e crianças, o edifício foi encerrado, e os serviços de partos são realizados num local improvisado.

“Cada mulher tinha que estar na sua própria cama, mas o que está acontecer é que estamos a usar a mesma cama. Se por ventura uma der parto temos que dispensa-la antes do período que tinha que ficar em repouso para dar espaço a outra”, informou Joaquina Likaneque, parteira.

Para resolver o problema, que esta a dificultar o trabalho dos técnicos de saúde e a ameaçar a vida das mulheres gravidas, o distrito vai construir uma nova maternidade, com o apoio da Fundação Aga khan.

Orçadas em 20 mil dólares norte-americanos, as obras de construção da nova maternidade da sede do distrito de Quissanga, deverão estar concluídas em 2019, e terá uma capacidade para 14 camas.

O País