O porta-voz do Comando-Geral da Polícia diz que após a ocorrência de vários assaltos, principalmente a autocarros e transportes semi-colectivos de passageiros, a corporação, em coordenação com a sua congénere sul-africana, levou a cabo várias acções operativas que culminaram com a detenção de um indivíduo que se supõe seja o cérebro dos ataques.

Inácio Dina afirmou que a detenção deste indivíduo foi fundamental para as autoridades policiais compreenderem o modus operandi do grupo e identificar outros integrantes. “Colocamo-nos no terreno, coordenamos com a nossa congénere da África do Sul, temos um comité operativo para a prevenção de crimes transfronteiriços, houve a detenção de um indivíduo e identificação de tantos outros”, explicou Dina.

Segundo contou o porta-voz, são várias as estratégias que eram utilizadas pelo grupo. Algumas vezes criavam condições para que a viatura ficasse imobilizada na via, através de furos nos pneus, para depois atacarem as vítimas, outras vezes aproveitavam-se das paragens dos autocarros para se introduzirem no interior e protagonizarem os assaltos, entre outras formas.

Para lograrem os seus intentos, segundo Inácio Dina, os malfeitores tinham um exaustivo sistema de comunicação, com detalhes e descrição das potenciais vítimas, através de um informante que se posicionava nos terminais dos autocarros “Há indivíduos que, estando no ponto de partida, comunicavam com os outros e faziam o acompanhamento da marcha da viatura à procura de circunstâncias que permitissem efectuar o crime”, explicou.

Inácio Dina não avançou o número de detidos em conexão com estes crimes, mas garantiu que as investigações continuam e a situação está controlada. “Neste momento, tanto os transportadores como os passageiros podem sentir-se confortáveis, tendo em conta as medidas que nós tomámos e que foram tomadas de forma conjunta”, reiterou.

O porta-voz do comando-Geral falava durante o habitual briefing semanal com a imprensa, no qual anunciou o registo de 129 delitos criminais em todo o país, que levaram à detenção de 184 pessoas. Violadores de fronteira foram também detidos, em número de 934.

Na ocasião, Dina fez saber que, no período em análise (1 a 7 de Setembro), foram registados 29 acidentes de viação, que resultaram na morte de 23 pessoas. Na sua maioria, os sinistros foram do tipo atropelamento, em número de 16. A polícia diz ter fiscalizado 37 091 viaturas, o que culminou com a aplicação de multas a mais de cinco mil automobilistas.

Sobre as acusações de intolerância política que têm sido proferidas por partidos da oposição, casos de MDM e Renamo, o porta-voz da polícia disse que a intervenção da corporação na actividade de uma formação política só ocorre quando está em causa a ordem e tranquilidade pública. “A polícia é apartidária, isto é da constituição.

Não há nenhum interesse em procurar facilitar determinada formação política ou outra”, vincou Dina.

Na ocasião, o porta-voz anunciou a realização do conselho coordenador da PRM, nos dias 12 e 13 de Setembro, que, entre outros assuntos, vai fazer a avaliação do desempenho da corporação no concernente à ordem e tranquilidade pública, bem como debruçar-se sobre questões de segurança nas próximas eleições autárquicas.

O País