O líder da Renamo, Afonso Dhlakama, encontra-se gravemente doente, facto que deita por terra seu projecto de Março de governação nas seis províncias das zonas centros e norte do País.

Fontes bem posicionadas na “perdiz” disseram à nossa fonte que Afonso Dhlakama, encontra-se doente e bastante debilitado. Mas, não se sabe ao certo que tipo de doença que apoquenta o líder da Renamo, apesar da sua última aparição ter justificado sua aparência débil de ter sido causada por andar a pé da Beira à Serra da Gorongosa, cerca de 200 quilómetros.

Há uma semana foi até ao Samatenje, um famoso curandeiro aqui na Gorongosa para receber tratamento. Ficou lá dois dias e melhorou um pouco”, disse uma fonte próxima de Dhlakama que insistentemente pediu que “algemássemos” o seu nome.

A mesma fonte referiu que como o tratamento não sortiu efeitos desejados, o líder pretende experimentar outros curandeiros com vista a sua cura, tendo sido identificados os senhores Afonso Murivimbe e Landega Tcherene que vivem nas proximidades da Serra onde Dhlakama se encontra “encurralado”.

Dhlakama está com medo de ir ao encontro desses curandeiros uma vez que as tropas governamentais nem se quer lhe dão espaço para qualquer manobra. Vive feito galinha na capoeira por medo de ser atacado”, precisou.

De referir que desde meados de 2015 que o Líder da Renamo vinha prometendo instalar governos ao nível das províncias como forma de legitimar a suposta vitória do seu partido nas províncias de Sofala, Manica, Zambézia, Tete, Niassa e Nampula.

Folha de Maputo