O roubo de gado, viaturas e os acidentes de viação continuam a preocupar as autoridades policiais, segundo afirmou nesta segunda feira, na província de Maputo, o porta-voz da polícia nesta urbe, Emídio Mabunda.

No fim-de-semana último, a polícia registou dois casos criminais e dois acidentes de viação nas patrulhas efectuadas em todas artérias da província para a garantia da ordem e tranquilidades públicas.

 Segundo o porta-voz da polícia na província de Maputo, Emídio Mabunda, dos casos criminais mencionados, um foi de roubo de gado no distrito de Boane num número de vinte e cinco cabeças, e outro roubo de uma viatura de marca Toyota Vitz, com recurso a arma de fogo no bairro de Tsalala, na província de Maputo.

Em relação ao roubo de gado Mabunda explica que os indivíduos não identificados munidos de instrumentos contundentes terão ameaçado um pastor de nome Borges Zandamela e posteriormente se apoderado de cerca de vinte e cinco cabeças de gado bovino que se encontravam num curral.

 Mabunda acrescentou que as cabeças em causa, viriam a ser recuperadas na zona de Beleluane, sendo que os responsáveis estão ainda monte.

Falando do caso de roubo da viatura, o porta-voz disse que este terá acontecido por volta das dezoito horas onde dois indivíduos teriam interpelado uma cidadã de nome Célia Lizete no portão da sua casa, disparando uma bala, acção esta que culminou com o alvejamento da proprietária da viatura no braço e do acompanhante da mesma na palma da mão.

Dos acidentes de viação ocorridos em igual período, tiveram como consequência três óbitos e dois danos materiais, dos quais um avultado e outro ligeiro, suspeitando ­se que o excesso de velocidade terá sido a causa principal dos mesmos.

Apesar desses casos Mabunda afirma que a província de Maputo encontra- se estável no que diz respeito a situação criminal, pois observou-se uma redução de ocorrência de casos para dois, contra sete ou oito que se verificavam em igual período do ano passado.

“Tendo em conta o índice criminal que se verificava na província de Maputo, há no momento um ambiente de calmaria”, disse Mabunda sublinhando que este ambiente é resultado de um trabalho conjunto com as comunidades.

 Mabunda reitera o apelo as comunidades para que continuem a trabalhar com a polícia no sentido de divulgar esses casos a tempo.