O líder da Renamo, Afonso Dhlakama, de 61 anos de idade que vai concorrer a presidência da Republica nas próximas eleições gerais de Outubro, encontra-se a padecer de uma enfermidade por diagnosticar, necessitando de cuidados médicos especiais para o efeito.

Fontes que contactaram a nossa redacção a partir de Gorongosa afirmaram que em várias esquinas daquela vila e arredores, a conversa gira em torno da saúde do líder da Renamo que era descrita ate ontem como sendo “gravemente doente”.

“Ele esta com os pés inchados e estava pedindo socorro para ser levado ao hospital, mas pedia que fosse na África do Sul. Aquela doença no entender dos meus colegas que se aproximaram dele só pode ser uma diabete. Nem conseguia andar porque já está numa fase avançada. Dhlakama está irreconhecível”, disse uma fonte das Forças de Defesa e Segurança que pediu a omissão da sua identidade.

Tentámos, sem sucesso, ouvir a reacção da Renamo em volta do assunto do estado de saúde do seu presidente que se encontra em “parte incerta” desde o dia 21 de Outubro do pretérito ano de 2013. Contactámos telefonicamente Ivone Soares, Presidente da Liga Juvenil da Renamo e deputada da Assembleia da República pela “perdiz”, tendo o seu número chamado e depois cancelado. Partimos para o “plano B”, contactando Gilberto Chirinza, membro sénior da Renamo, este que pautou simplesmente por não atender as nossas chamadas.

Soubemos de nossas fontes que nos facultaram o contacto que “Sr. Chirinza pode não vos atender, anda ‘para baixo’ devido a esta situação de saúde do presidente Dhlakama”.

Raul Domingos
Raul Domingos, a aposta da Renamo as Presidenciais caso o estado de saúde de Dhlakama não registe avanços

Entretanto, nos bastidores circulam informações de que o partido Renamo está a negociar uma eventual coligação com o Partido para Paz Democracia e Desenvolvimento (PDD) no sentido do presidente daquele partido, Raúl Domingos concorrer pela Renamo, em substituição de Afonso Dhlakama caso o seu estado de saúde não registe melhorias.

A nossa reportagem contactou na manha de hoje (25), o Presidente do Partido Para Paz Democracia, Raúl Domingos para dele sabermos se a efectivar-se a pretensão da Renamo de o ter como seu candidato caso Dhlakama continue “debilitado” aceitaria a proposta, mas o nosso entrevistado foi peremptório: “não respondo questões hipotéticas”.

Perante a nossa insistência no sentido de saber se aceitaria ou não a proposta do partido da sua proveniência (Renamo), Raúl Domingos não entrou em muitos detalhes tendo afirmado que primeiro necessitaria de ver a proposta da Renamo para depois analisar e pronunciar-se.