As negociações entre o Governo moçambicano e a Renamo terminaram hoje, com sucesso. As duas partes consideram positiva, embora ainda não se ter chegado ao consenso total, mas os objectivos esperados pelas delegações já foram cumpridos, faltando apenas mais uma ronda que se espera na próxima quarta feira para as partes tratarem das garantias e responsabilidades sobre os pontos discutidos.

As partes saíram satisfeitas, tendo sido considerado como um dia especial, por se terem terminado todos os pontos do documento base que se encontrava em discussão desde do ano passado.

Em conferência de imprensa realizada depois da ronda, o chefe da delegação do Governo, José Pacheco considerou a negociação feita hoje, como uma ronda com características muito especiais pelo facto de se ter alcançado consenso no documento básico para a presença de observadores militares internacionais.

O documento de base já agrega todos os elementos essenciais do processo nomeadamente negociação das hostilidades militares, processo de integração nas forças armadas e na Polícia de da República de Moçambique (PRM), reinserção económica e social dos elementos da Renamo.

“Conseguimos ter entendimento a volta das questões militares em que terminado este processo nenhum partido poderá ter elementos armados, no entanto, Pacheco considerou um passo muito importante”, disse Pacheco, acrescentando que “está a faltar apenas o elemento complementar que tem a ver com garantias de implementação deste processo, tendo sido um diálogo consensualizado na totalidade, mas falta ainda um aspecto relacionado com as responsabilidades das partes intervenientes no âmbito da implementação das acções inerentes a sessão das hostilidades e a consolidação da paz, ordem e segurança pública no nosso país”.

Jose Pacheco, chefe da delegação do governo nas negociacoes
Jose Pacheco, chefe da delegação do governo nas negociacoes

Por seu turno o chefe da delegação da Renamo, Saimone Macuiane, disse que “em relação ao documento-base já está consensualizado e faltam pequenos aspectos no documento por completar e que tem a ver com os mecanismos de garantia para podermos em definitivo ter-mos a parte frente aos termos de referência concluída, mas o que já fizemos corresponde exactamente a nossa preocupação que visa encontrar uma paz e estabilidade duradoira no nosso país”, referiu.

Macuiane referiu ainda que os pormenores serão apresentados na próxima ronda se tudo continuar no ambiente harmonioso como tem acontecido nos últimos dias, esperando-se que o mais rápido possível possa-se concluir o processo e a Renamo já remeteu um pedido ao Governo para mais uma ronda na próxima quarta-feira. “

Em relação ao pedido formulado pela Renamo, o governo prometeu se pronunciar sobre o assunto dentro de 24 horas, dependendo da sua agenda.

Entretanto, a Renamo mostra-se satisfeita tendo afirmado, na pessoa do seu chefe da delegação que “de facto há avanços que encorajam o partido em prol dos objectivos já traçados entre as partes”

Refira-se que o produto final das negociações será apresentado no próximo encontro entre as duas delegações onde serão apresentados em detalhe o conteúdo discutido nesta sessão, bem como para a apresentação das respectivas garantias das duas delegações, como uma forma de responsabilidade para ambas partes nas decisões tomadas no processo.

Saimone Macuane, chefe da delegaçao da Renamo no dialogo politico
Saimone Macuane, chefe da delegaçao da Renamo no dialogo politico