As delegações do Governo e da Renamo que nesta segunda-feira voltaram a se encontrar na 60ª sessão das negociações no Centro Internacional de Conferencias Joaquim Chissano, anunciaram terem chegado a aproximação das suas posições, embora em última análise tenham dito que não alcançaram nenhum consenso em torno da conclusão dos termos de referências sobre a missão dos observadores militares internacionais.

De acordo com os chefes das duas delegações, a questão da reorganização das Forças de Defesa e Segurança, é assunto que deve transitar para o ponto dois da agenda destas negociações, estando contudo a decisão final dependente dos entendimentos a serem alcançados na próxima ronda a ter lugar na segunda-feira que vem, dia 9 de Junho.

As partes discutiram que este ponto não deve caber nos termos de referência sobre os observadores internacionais, tendo por isso através da sugestão do governo declarado “se encaixar no ponto atinentes as forças de defesa e segurança”.

Tanto o Governo, como a Renamo dizem querer continuar a discutir este ponto oportunamente. Afirmaram estarem ansiosos em fecharem os termos de referência na próxima ronda.