Segundo o primeiro subdirector-geral do FMI, David Lipton, esta instituição financeira multilateral está actualmente a apoiar o Governo moçambicano na aquisição de conhecimentos sobre as melhores práticas para a contratação de empresas multinacionais, bem como para a cobrança de taxas e outros impostos resultantes da exploração de recursos naturais de forma justa.

“Nesse apoio ao Governo estamos também a trabalhar com o Banco Mundial e outras instituições internacionais, com o objectivo de fazer com que o dinheiro proveniente da exploração dos recursos seja utilizado no incremento das infra-estruturas e no desenvolvimento dos sectores de Saúde e Educação. O mais importante no nosso trabalho é também assegurar que com todo este nosso esforço as finanças públicas permaneçam sólidas e que os principais dados macroeconómicos do país mostrem uma contínua evolução”, disse David Lipton.

Exploração de recursos naturais: FMI defende justiça na firmação dos contratos

O primeiro subdirector-geral do FMI, falava ontem, em Maputo, numa conferência de Imprensa que marcou o final de uma visita que vinha efectuando desde sábado passado ao país. Na conferência, David Lipton fazia-se acompanhar pelo Ministro das Finanças, Manuel Chang.

Durante a sua permanência no país, David Lipton manteve encontros com alguns ministros, com o Governador do Banco de Moçambique, Ernesto Gove, investidores privados da área dos recursos minerais e com a sociedade civil. Ainda ontem, participou numa palestra sobre os desenvolvimentos económicos recentes e perspectivas de curto e médio prazo para a economia global, África Subsahariana e Moçambique, na Universidade Politécnica, para além de ter visitado o Porto de Maputo.

“Não há dúvidas que Moçambique está a realizar um grande trabalho com o estabelecimento de uma base macroeconómica forte. O país está a embarcar num período de exploração dos recursos naturais, mas levará muitos anos antes que a sua extracção comece a gerar renda, sendo por isso, o tempo de Moçambique preparar e planear a utilização mais benéfica para a população dos recursos naturais”, disse.

Jornal Noticias