As autoridades de justiça em Manica, centro de Moçambique, consideram “alarmante” a subida de casos de tráfico de pessoas e de órgãos humanos, o que coloca a província em “alerta vermelho”, disse à “Lusa” fonte oficial.

“A província de Manica apresenta um quadro negro no que se refere ao tráfico de pessoas. Esta situação constitui um alerta para todos da necessidade de assumir um papel proactivo na luta contra este mal”, disse à “Lusa” Firmino Emílio, porta-voz da Procuradoria de Manica.

Estatísticas da Procuradoria indicam que este ano foram registados seis casos de tráfico de pessoas e de órgãos humanos, já encaminhados para o tribunal. Dos processos que transitaram do ano passado, quatro foram julgados, dois dos quais com condenações, um absolvido e outro a aguardar sentença.