Professora diz que “negros não aprendem porque são burros”

Professora diz que “negros não aprendem porque são burros”

COMPARTILHE

Uma professora brasileira foi condenada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo a pagar uma indemnização de 2.800 euros (cerca de 224.300 meticais) a um aluno negro por comentários racistas que fez contra ele e toda a raça negra durante uma aula.

A professora já tinha sido condenada pelo juíz Marcelo Machado da Silva, da IV Vara Cível do tribunal do Guarujá, cidade no litoral do estado de São Paulo onde o caso ocorreu em 2008, recorreu da sentença mas o Tribunal de Justiça confirmou agora a pena.

Durante a aula, na Escola Estadual Professora Raquel de Castro Ferreira, no Guarujá, a docente irritou-se com a dificuldade de um aluno negro em entender uma questão e disparou ofensas raciais. Sem saber que o aluno estava a filmar tudo com o telemóvel, a professora afirmou que “pessoas negras são burras, por isso não conseguem aprender”.

Além da professora, o estado de São Paulo foi igualmente condenado a pagar indemnização no mesmo valor, como responsável pela instituição onde as injúrias foram proferidas. No recurso, o estado considerou o caso como um “mero aborrecimento” sem importância e pediu a anulação da condenação inicial, mas o desembargador Rebouças de Carvalho, da Nona Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo, confirmou a sentença, lembrando que as ofensas tiveram ainda mais gravidade por terem sido proferidas por uma professora numa sala de aula, local, frisou, de convivência intercultural, de incentivo à liberdade, tolerância, de diálogo e de promoção da dignidade humana.

Cm

COMENTE PELO FACEBOOK

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA