Pesticidas obsoletos: Detectados solos contaminados no país


A contaminação derivou do enterro de pesticidas e por armazenamento por longos períodos sem o devido acondicionamento, de acordo com uma informação prestada por fonte do Ministério para a Coordenação da Acção Ambiental (MICOA).

Por enquanto trabalha-se para determinar os níveis de contaminação, a área parcial e total, bem como os impactos a curto, médio e longo prazos, porém sabe-se que a existência de pesticidas obsoletos constitui uma ameaça à saúde pública e ao ambiente.

Falando das consequências da existência de solos contaminados, a nossa fonte relatou que, por exemplo, na Localidade de Muziva, província da Zambézia, foram detectados pesticidas em estado obsoleto e que estavam enterrados. Sabendo disso, a população daquela zona passou a usar o solo contaminado na pesca. O mecanismo aplicado era o de lançar o solo na água para o peixe morrer e vir a superfície. Depois recolhiam-no para comer ou vender.

“Isto representa um grande perigo para a saúde pública e para o ambiente”, disse a fonte, sublinhando que em algumas zonas da província do Maputo foram igualmente descobertos solos contaminados.

Pesticidas obsoletos: Detectados solos contaminados no país

Por outro lado, as antigas instalações da Borror, na Matola, que foram usadas pelo projecto da Agência Dinamarquesa para o Desenvolvimento (DANIDA) como ponto de centralização de pesticidas obsoletos têm solo contaminado e que já estão a merecer o devido tratamento nesta quarta fase do projecto pesticidas obsoletos, que arrancou em Novembro de 2011 e encerra em 2014.

O local onde funcionava a ex-empresa Quimigera – situado atrás da fábrica Cimentos de Moçambique e que se dedicava à produção de fertilizantes – é um local bastante contaminado por produtos sujeitos a controle no contexto das convenções. Temos ainda vários locais onde foi dectetado a existência do asbesto que é também um produto sujeito a controle no âmbito destas convenções de Roterdão sobre Procedimentos de Comércio Internacional de Produtos Químicos; de Basileia sobre o Movimento Transfronteiriço de Resíduos Perigosos e a de Estocolmo sobre Poluentes Orgânicos e Persistentes de que Moçambique é signatário.

Nas ex-instalações da Direcção Provincial de Agricultura há um local onde foram enterrados pesticidas obsoletos. Houve necessidade de se fazer uma avaliação ambiental ao local local para determinar o risco que isso representava.

No regadio de Nguri, em Cabo-Delgado, há um local onde foram enterrados pesticidas e que precisam de tratamento adequado, o mesmo acontecendo em relação à província do Niassa, embora a nossa fonte não tenha precisado o local.

E mais: “Em todos os locais onde actua o Programa de Combate a Malária, armazena produtos químicos, na sua maioria DDT – usado para pulverização intra-domiciliária – que depois resultam na produção de resíduos que devem merecer um tratamento adequado. Isto quer dizer, que todo o território nacional temos locais onde há uma contaminação de solos por pesticidas obsoletos”, disse.




Deixe Seu Email e Receba Notícias Todos os Dias:



A sua opinião faz a diferença. Comente!


Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*